terça-feira, 9 de junho de 2015

Resenha de “A beleza e Suas Zonas de Sombra”


Para baixar a versão em pdf:

O Corpo em Movimento

O Texto inicia mostrando alguns hábitos adotados pelas mulheres do século XIX no Brasil para se tornarem mais bonitas, segundo a visão romântica da época. Com a utilização de certas maquiagens para dar um ar pálido. Enquanto isso nascia “na Europa os Ginásios, os professores de ginástica, os manuais de medicina que chamavam a atenção para as vantagens físicas e morais dos exercícios. Os novos métodos de ginástica investiam em potencializar as forças físicas, distanciando do maneirismo aristocrático da equitação e da esgrima, ou da brutalidade dos jogos populares”. Houvera grande controvérsia em tais atividades pudessem ser feitas por mulheres ou se não estariam indo contra as leis dos bons costumes. Porem, muitos médicos e higienistas se puseram a favor destas praticas como um hábito saudável, ou seja “a elegância feminina começou a rimar com saúde”.

Corpo Esculpido
A pratica esportiva foi introduzida por imigrantes, e representantes da oligarquia em contato com a moda européia. “A pratica desportiva era destinada a combater o ócio e os hábitos mundanos da juventude”. A apesar de começarem a ser vistas com um pouco mais de freqüência, o papel das mulheres era de fato estar em casa, porém começavam a ganhar valores de consumo. Começa a haver consumismo de produtos importados, com os primeiros cosméticos industrializados, vestidos e até roupas intimas. “Costureiros e chapeleiros de origem estrangeira, instalam-se com suas lojas. Anúncios em francês visavam atrair a clientela mais sofisticada”. Dando cada vez mais embasamento de como as mulheres deveriam se apresentar a sociedade, cada vez se preocupando com a exposição do corpo. Com uma ênfase num jovialismo que fariam de tudo para tentar burlar a velhice.
Junto com a chegada do cinema americano nos primeiras décadas do século XX, começaram a aparecer novas imagens femininas substituindo a tradição parisiense. E o culto a jovialidade é acentuado mais, pois começa a se tornar perda de prestigio envelhecer, começa também a haver discrimino com a obesidade, a tornando associada à feiúra.  

Nasce a “Louraça-Belzebu”

            O culto a mulher loira tem inicio da importação das bonecas francesas de porcelana, para substituir as bonecas de pano das meninas ricas. E depois das bonecas, foi a chegadas da mimis, prostituas estrangeira, com cabelos loiros e pele branca. Logo em seguido este costume fora reforçado pela preocupação do branqueamento da nova republica que esta nascendo, afim de que se se torna “melhor” ainda mais com a chegada de imigrantes provenientes de paises europeus.

Abaixo as “Barbies”!
            Nesta parte do texto a autora demonstra como se apresenta a “histeria” na ânsia de nossa sociedade de ter de colocar como primeiro plano a busca de semblante físico perfeito, padronizado e homogeneizado, e faz uma critica a marginalização do brasileiro ao mestiço, que é um paradoxo, já que é totalmente incoerente já que somos um povo mestiço.


*Texto original publicado no livro “Corpo a Corpo com aMulher” de “Mary Del Priore”.

Fonte da imagemhttp://noticiajato.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário